Please reload

Posts Recentes

O vizinho não quer consertar o vazamento, e agora?

August 7, 2018

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Instalações de gás no condomínio: cuidados essenciais

September 26, 2018

Quem nunca ouviu uma notícia sobre a explosão de gás em algum prédio? Esse tipo de
acidente, além dos danos que causa à unidade onde ocorre, pode abalar as estruturas do prédio.

 

As instalações de gás no condomínio devem ser feitas de maneira cuidadosa, seguindo todas as
normas para instalação da tubulação de gás. Gás no condomínio é assunto muito sério!

 

São dois os sistemas geralmente utilizados para a instalação de gás no condomínio: o gás
natural e o GLP (gás liquefeito de petróleo).


Para a instalação de gás natural, não há necessidade de botijões ou cilindros de
armazenamento. O fornecimento se dá de forma continuada. Um abrigo para medidores e
regulador deve ser preparado para a instalação.


Já para instalar o uso do GLP são necessários cilindros de gás colocados numa área coberta e
segura, e o abastecimento periódico é executado pela concessionária de gás.

 

Cuidados na instalação de gás no condomínio


1. Seja qual for o sistema adotado, o gás é levado até as unidades por meio de
encanamento. Este pode ser embutido na parede ou ficar aparente. Existe também a
possibilidade de colocação de medidores individuais.


2. A distância entre o abrigo do medidor e o ponto de consumo é que vai determinar o
caminho que a tubulação deve percorrer.


3. Por tornar a manutenção mais simples, a tubulação aparente se torna a melhor opção.
Por estar fora do prédio, apresenta risco menor aos moradores em caso de vazamento.


4. Ambos os sistemas são seguros, mas suas instalações devem seguir as normas da
ABNT, para minimizar os riscos de vazamento.


5. Antes de escolher o sistema de fornecimento a ser instalado, é necessária a avaliação
de um profissional com conhecimento técnico. Ele fará a vistoria na obra, determinando
qual o sistema mais seguro para o caso.
 
Como evitar vazamentos nas instalações de gás

 

1. A inspeção periódica da central de gás, onde estão os medidores, e dos ramais, deve
ser feita todos os anos para a central e a cada três anos para os ramais. Um laudo
assinado por um técnico deve ser emitido e recolhida a ART.

 

2. Fazendo uma vistoria anual no sistema de gás, o síndico proporciona maior segurança ao condomínio. Mas, é importante que esta vistoria seja realizada pela concessionária que fornece o gás.

 

3. Os moradores devem respeitar a validade da válvula que vai do botijão para o fogão e também ficar atentos ao cheiro de gás. Ao perceberem cheiro forte, devem avisar o zelador ou síndico e solicitar uma vistoria urgente.

 

4. O aumento na conta do gás também pode ser sinal de algum vazamento.

 

Cuidar da tubulação de gás é a melhor forma de prevenção

 

Vale atentar para o fato de que tubulações mais antigas podem apresentar:

  • Problemas de ferrugem;

  • Vazamento;

  • Falta de válvulas manuais de manutenção;

  • Deterioração da pintura aparente;

  • Falta de tratamento anticorrosivo;

  • Utilização de vedante vegetal;

  • Instalação estar em local pouco ventilado;

  • Ausência de extintores nas proximidades.

Essas tubulações eram geralmente feitas com canos de ferro galvanizado. Atualmente, com a maior disponibilidade e opções de materiais, caso seja realizada a troca, o mais indicado é que não se use mais tubulações galvanizadas.

 

É preciso ter cuidados especiais quando da execução de demolições e reformas no condomínio e/ou nos apartamentos para não se atingir estas tubulações. Pesquise sempre, antes do início dos serviços, sobre o projeto de instalação de gás de sua edificação. A  prevenção sempre é a melhor forma de evitar acidentes.

 

Fonte: tudocondo.com.br

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga