Please reload

Posts Recentes

O vizinho não quer consertar o vazamento, e agora?

August 7, 2018

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Maresia afeta prédios no litoral

January 17, 2019

O engenheiro civil Áecio de Miranda Breitbach, especialista em patologia de fachadas (tintas e revestimentos), de Florianópolis, afirma que, dentre os problemas registrados numa edificação estão: fissuras no revestimento externo, corrosão da armadura do concreto (pilares, lajes e vigas), infiltração de água de chuva para o interior do prédio, desenvolvimento de fungo e mofo – que escurecem e degradam a fachada.

 

Para minimizar os problemas decorrentes dos danos nas edificações é preciso cuidado com a manutenção, o que reduz a necessidade de reforma. O mestre em arquitetura na área de patologia da construção, Armando Felipe da Silva, ressalta que o condomínio precisa prestar atenção principalmente na pintura do edifício. Fazer a lavação de fachada no terceiro ano de construção do edifício evita fungos e bactérias, destaca o profissional.

 

O engenheiro civil Alexandre Chambarelli de Novaes, que faz perícias em condomínios, reforça ser importante a contratação de um profissional – engenheiro ou arquiteto – que poderá fazer uma avaliação detalhada sobre todas as necessidades de reformas e a melhor maneira para execução do trabalho. “O projeto e o orçamento são importantes para determinar como será a obra e para evitar gastos”, explica. Depois de fazer o projeto/orçamento é hora de buscar as empresas capacitadas para a execução, diz.

 

O arquiteto Luiz Fernando Zanoni, de Florianópolis, destaca que, se levarmos em conta a salinidade e a umidade dos prédios na região litorânea, em qualquer época do ano é necessário ter cuidados com obras ou reformas. Ele ressalta ser importante usar sempre materiais certificados de qualidade e indicados para o uso.

 

Normas técnicas devem ser observadas

 

O síndico precisa estar atento às regras técnicas determinadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) ao fazer uma obra no condomínio. A orientação é do engenheiro civil Áecio de Miranda Breitbach, especialista em patologia de fachadas (tintas e revestimentos), de Florianópolis. O engenheiro ressalta que o síndico deve ter como referência o procedimento da norma técnica NBR 5674/99 - Manutenção de edificações. Na opinião do engenheiro, todos os moradores são responsáveis pela conservação do prédio. Cada um precisa fazer sua parte para promover as melhorias na edificação e evitar fungos e bactérias, que danificam o prédio. Confira as orientações do especialista.

 

Jornal dos Condomínios: No caso dos prédios no litoral, há um período melhor para fazer obras? O inverno é melhor? Ou não?

 

Aécio de Miranda Breitbach: “O verão é ideal para restauração de fachadas, repinturas, terraços e telhados, pois é um período de maior insolação e chuva não prolongada. O inverno é mais apropriado para obras internas ao abrigo da intempérie, como restauração de pisos e paredes internas, impermeabilização de cisternas e reservatórios. Na primavera e no outono podem ser realizados serviços de manutenção do sistema de para-raios, sinalização noturna, limpeza de calhas e caixas de gordura e passagem.”

 

JC: Que orientações o senhor pode repassar em relação à escolha de materiais? O que e preciso observar antes de sair comprando?

 

Breitbach: “As normas técnicas da ABNT estabelecem critérios de conformidade a serem seguidos e observados também por quem adquire. A conformidade deve estar estampada nas embalagens dos materiais. No entanto, os engenheiros civis e arquitetos são capacitados a identificar as desejadas conformidades.”

 

Fonte: Jornal dos Condomínios

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga