Please reload

Posts Recentes

O vizinho não quer consertar o vazamento, e agora?

August 7, 2018

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Portão de Garagem: que cuidados você deve ter

June 21, 2019

O portão de garagem pode ser um dos pontos mais problemáticos do condomínio por registrar grande volume de movimentação. Alguns chegam a ser abertos e fechados mais de mil vezes ao dia. Além da manutenção preventiva, o síndico deve se preocupar com a questão de segurança do prédio. Por isso, é importante prestar atenção na hora de escolher o tipo de equipamento.

 

Na hora de escolher o sistema, o mais importante é que o motor seja compatível com a estrutura do portão e a frequência de uso. Ou seja, o equipamento deve apresentar uma potência de acordo com o peso do portão, com o tipo de abertura (deslizante ou basculante) e seu número de ciclos (de abertura e fechamento, por hora), sendo compatível com as necessidades do condomínio. Um prédio que tenha um grande volume de entradas e saídas não pode considerar apenas 15 ciclos por hora, pois isso vai gerar desgaste das peças e menor tempo de vida útil  do motor.

 

Além disso, para garantir mais segurança e agilidade na abertura e fechamento do portão, o sistema deve ser ágil, mas a velocidade dos ciclos do portão também depende do tipo de motor e da estrutura do portão.

 

Existem no mercado alguns modelos super-rápidos de portões automáticos, recomendados para os tipos deslizantes e basculantes.

 

TIPOS DE SISTEMAS

 

Depois de escolhido o motor, escolha o tipo de sistema de abertura e alguns cuidados que você deve ter com cada um:

 

PIVOTANTE: por ter sua abertura feita por um eixo central e vertical sustentado por pivots esse sistema é o menos indicado para condomínios devido ao grande desgaste que a estrutura sofre pelo movimento constante de abrir e fechar.

 

BASCULANTE: é um dos mais utilizados, pelo ganho de espaço, porém exige grande manutenção. A dica é que o equipamento deve estar muito bem balanceado, pelas lubrificadas e cabos em boas condições de uso.

 

DESLIZANTE: assim como os outros, exige manutenção preventiva constante, mas é considerado pelos especialistas como o equipamento mais econômico e que apresenta menos problemas.

 

 

ACESSO

 

Decidido isso, é preciso pensar em como será o acesso dos moradores. Essa etapa tem ligação direta com a questão de segurança do condomínio. O mais comum é por controle de acesso remoto acionado pelo próprio morador. Também é possível utilizar selos ou tags que devem ser usados no veículo, similares aos utilizados em sistemas de pedágio. Também é possível, e cada vez mais comum, a utilização de acesso via biometria ou digitação de senha pelo condômino.

 

Por questões de segurança, os sistemas em que o morador tem que abrir o vidro , apagar os faróis e acender a luz interna, podem facilitar que o controlador de acesso enxergue se há alguém estranho dentro do carro e acione um código de pânico. Também ajudam no controle de horários dos moradores, sabendo quem entrou ou saiu em um determinado horário. Também facilita a liberação da entrada e/ou saída de prestadores de serviços em horários previamente combinados.

 

 

MANUTENÇÃO

 

Além de contratar uma empresa de confiança para realizar a manutenção preventiva dos portões, os funcionários e moradores do condomínio também podem colaborar com a mesma:

 

– Mantenha os trilhos limpos;

– Regularmente realizar a lubrificação das engrenagens do sistema;

– Observe se o tempo de abertura e fechamento permanecem sempre constantes;

– Ficar atento a barulhos ou trepidações;

– Não utilizar a garagem como entrada e saída de pedestres. Caso seja inevitável  deve-se deixar o portão completar seu ciclo, e não deixando-o aberto apenas o suficiente para que o pedestre saia.

– Quando um segundo carro aproxima-se do portão ainda em fechamento. Deve-se esperar o fechamento completo para, então, abrir o portão novamente.

– Observar constantemente a fiação do sistema também é importante. Se o portão apresentar muitos curtos, vale verificar se os fios estão em boas condições.

 

O contrato de manutenção deve especificar se a troca de peças está incluída na prestação de serviços, o tempo de resposta da empresa (em horários comerciais, fins de semana e feriados) e o número de visitas mensais (o indicado é de uma a duas) que o condomínio tem o direito.

 

 

POSSÍVEIS PROBLEMAS

 

Extravio do controle remoto:

 

Caso o dispositivo seja de frequência linear, o acionador perdido ou furtado pode ser excluído do sistema.  Se for um sistema de rádio frequência essa exclusão não é possível, sendo aconselhável que todos os moradores troquem ou reprogramem seus acionadores. O custo da substituição depende do que está acordado em cada condomínio.

 

Portão quebrado:

 

Logo que for identificada uma falha de funcionamento, deve-se entrar em contato com uma empresa de manutenção. A primeira medida é desligar o equipamento para que ele possa ser aberto e fechado manualmente. É aconselhável que um funcionário seja designado para essa função, evitando que o porteiro deixe o seu posto de trabalho.

 

Danos ao veículo

 

Caso o motorista se aproveite da passagem de um veículo à sua frente e o portão se feche sobre o segundo veículo, a responsabilidade é do segundo motorista em ressarcir o condomínio pelos danos causados  ao portão, e assumir os valores de reparo do seu próprio veículo.

 

Os portões com sistemas antiesmagamento são uma opção para evitar esse tipo de situação.  Há a opção de comprar o equipamento com o sensor instalado ou instalar posteriormente no próprio portão e no chão. Esse sistema faz com quem quando o portão encontrar uma resistência um pouco maior, pare, evitando um esmagamento ou evitando amassar um veículo.

 

É importante lembrar que, por segurança, o porteiro não deve, nunca, abrir o portão do lado de fora do condomínio.

 

 

DICAS DE SEGURANÇA

 

Ao chegar e sair do condomínio, fique atento à presença de estranhos nas imediações;

 

Evite deixar portões abertos enquanto se despede de visitantes na portaria;

 

Evite comentar assuntos de segurança do condomínio com outras pessoas estranhas ao condomínio;

 

Nunca deixe controles e chaves de portões e garagens no carro ou na portaria, pois podem ser furtados ou clonados e utilizados para entrada de estranhos ao condomínio;

 

Criar critérios para o controle de acesso de visitantes funcionários e prestadores de serviços;

 

Adotar regras claras e rigorosas para atender visitantes, entregadores de encomendas, etc;

 

Não permanecer em horários impróprios do lado de fora da portaria;

 

Sempre manter a porta do apartamento fechada.

 

Fonte: www.condoemfoco.com.br

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga