Procedimentos de emergência em condomínios

Quem já foi síndico sabe muito bem que situações de emergência costumam ser mais comuns em condomínios do que se pensa. De canos estourados a brigas entre vizinhos, tanto o síndico como o zelador devem estar preparados para agir e saber como lidar com as mais variadas situações.

Pensando nisso, compartilhamos a cartilha abaixo com telefones úteis, instruções de procedimentos e orientações sobre como agir nas principais emergências em condomínios como vazamentos de gás, princípios de incêndio, brigas e agressões entre vizinhos, assaltos, portões automáticos quebrados e pessoas presas em elevadores.

Situações como estas podem acontecer a todo momento e não podem ser sempre evitadas, já que, muitas vezes, sua ocorrência não depende apenas da organização do condomínio. Mas a manutenção em dia, funcionários bem instruídos e números de telefone em ordem e atualizados podem ajudar a minimizar o desconforto causado por essas – e outras – situações de emergência:

Telefones úteis

  • 190 - Polícia

  • 192 - SAMU (Ambulância – casos clínicos)

  • 193 - BOMBEIROS (incêndios, vazamento de gás, resgate em caso de traumas e passageiros presos em elevador)

  • Devem estar nesta lista também os números de emergência da empresa de manutenção de elevadores, da seguradora do condomínio, empresas de manutenção das bombas e portões

Elevadores (passageiros presos)

  • O resgate deve ser feito EXCLUSIVAMENTE por profissionais da empresa de manutenção ou corpo de bombeiros

  • O resgate por pessoas não-habilitadas (funcionários do condomínio, por ex.) traz risco de vida tanto ao passageiro quanto ao resgatante

Cheiro de gás

  • Imediatamente solicitar para que se feche o registro de gás e se esvazie o local

  • Entre em contato com a empresa distribuidora de gás e, em casos mais graves, com o Corpo de Bombeiros (193)

  • Caso seja possível identificar que o cheiro vem de uma unidade em que não há ninguém, o correto é esperar pelo Corpo de Bombeiros. Não force a porta para entrar

  • Caso o dono da unidade não queira abrir a porta ou fechar o gás, é possível acionar o corpo de bombeiros. Até lá, mantenha o registro do gás fechado

  • Quando o vazamento provém da tubulação do condomínio deve-se acionar a concessionária para pronta identificação e reparo do local

Canos estourados

  • Funcionários de manutenção e o zelador em geral conhecem os ramais de encanamento e seus respectivos registros. Dessa forma, a intervenção pode ser feita mais rapidamente

  • Também se pode utilizar serviços da seguradora do condomínio – algumas oferecem esse tipo de reparo para as áreas comuns

  • Caso esteja vazando água de uma unidade vazia ou o morador recusar-se a abrir a porta, as fontes escutadas pelo SindicoNet sugerem que o síndico, em último caso, pode arrombar a porta e entrar – sempre com duas testemunhas. Assim se evitam mais danos e prejuízos a outros moradores

Brigas (entre moradores ou com funcionários)

  • O síndico não tem obrigação legal de apartar brigas ou mediar conflitos entre moradores

  • Se há ameaça à segurança do condomínio, assim como qualquer outro condômino poderia fazer, pode e deve chamar a polícia para intervir

  • A obrigação legal do síndico em caso de brigas é a de aplicar advertências e multas previstas no Regulamento ou na Convenção, quando há violação de normas estabelecidas

  • É dever legal do condômino não comprometer o sossego e a segurança dos outros condôminos (artigo 1336 do Código Civil)

  • Em casos de agressões verbais ou físicas a funcionários, o síndico deve alertar o condômino de que esta conduta pode motivar a rescisão por justa causa por parte do funcionário, com todos os direitos previstos

Problemas com Drogas

  • Caso um condômino se utilize de drogas apenas em sua unidade – e houver apenas desconfiança em relação ao uso de entorpecentes, o síndico não pode pedir para entrar na unidade. Pode, porém, começar um trabalho de conscientização, com palestras e circulares para todos no condomínio sobre o perigo do consumo desse tipo de substância

  • No caso de uso de drogas nas dependências comuns do condomínio, o síndico deve procurar o usuário em um momento propício e alertá-lo sobre as regras do local – lembrando-o sempre de que está sujeito a multa

  • O médico psiquiatra e psicoterapeuta Alexadre Loch orienta que o usuário deve ser tratado como qualquer outro morador do condomínio e que a conversa pode ser uma saída mais pacífica e viável na maioria dos casos

  • No caso de adolescentes, é imprescindível que a família seja comunicada para que possa agir rapidamente. Loch lembra que os pais são muito importantes na conscientização desses jovens

  • Em casos mais graves, onde a conversa não surgiu efeito ou o usuário causa algum transtorno ou constrangimento aos moradores, o síndico deve fazer uma denúncia anônima à polícia. O advogado Márcio Rachkorsky lembra que o síndico não deve se envolver pessoalmente no assunto e que, de maneira nenhuma, deve adiar a decisão de envolver a polícia em casos extremos, já que a situação pode comprometer os moradores

Festas problemáticas

  • Se o barulho é excessivo, ou se o limite de horário para uso do salão de festas foi ultrapassado, um funcionário do condomínio deve solicitar por interfone que a perturbação cesse ou que o salão seja desocupado

  • É desaconselhável a intervenção pessoal do síndico. Se a solicitação por interfone não resolver, o zelador deve ser acionado para pedir o fim da perturbação. Se nem assim o problema se resolver, o síndico (mais uma vez: como qualquer condômino poderia fazer) pode chamar a polícia para intervir. O síndico deve solicitar ao zelador que acompanhe o policial ao local

  • Se houver brigas ou qualquer outra ameaça à segurança do condomínio, deve-se chamar a polícia

Portões automáticos quebrados

  • Em caso de queda de energia ou portas travadas, há empresas de terceirização que disponibilizam funcionários para operar manualmente os portões. Se a empresa contratada pelo condomínio oferece este serviço, não se deve hesitar em utilizá-lo, pois é uma situação de risco para a segurança

  • Ao chamar a manutenção, confira anteriormente se o funcionário é mesmo da empresa em questão

  • Se o condomínio não dispõe do serviço acima citado, oriente o porteiro da seguinte forma: - Certifique-se quem é o visitante e se o morador o conhece, antes de se aproximar para abrir o portão - Em casos de entrega não abra a porta ou chegue perto do portão antes de verificar com o morador o pedido

Assalto ao condomínio

  • Não reaja durante a ocorrência

  • Após a ocorrência, se houver vítimas, acionar imediatamente o resgate dos bombeiros (193)

  • Também imediatamente chamar a polícia (190)

  • Em seguida, em caso de danos materiais além do furto (quebra de fechaduras, por ex.), acionar os serviços emergenciais da seguradora do condomínio

  • Não alterar a cena do crime, para não dificultar investigações

  • Não deixe de fazer o Boletim de Ocorrência!

Início ou risco de incêndio

  • Uma vez por ano o condomínio deve oferecer curso de brigadista de incêndio aos seus moradores, em geral ministrada por um membro do corpo de bombeiros

  • O ideal é que um morador de cada andar faça parte das brigadas para saber como agir a ajudar os demais em caso de incêndio

  • Se um incêndio ocorrer em seu condomínio, acione a brigada de incêndio e chame o Corpo de Bombeiros (193) imediatamente.

  • Procure conhecer o equipamento de combate a incêndio para utilizá-lo com eficiência em caso de emergência

  • Após a ocorrência, não remova ou altere, nem consinta que sejam removidos ou alterados quaisquer vestígios do sinistro, entre em contato o mais breve possível com a seguradora

Acabou a água

Quando o problema for a bomba d´água, deve-se ligar para a empresa de manutenção. Pode-se evitar esse tipo de situação com:

  • Checagem diária do consumo de água do condomínio

  • Visitas periódicas na caixa d´água

  • Manutenção em dia da bomba

Se o problema for falta de água na concessionária:

  • Chame a polícia e o corpo de bombeiros

  • Ligue para saber se há previsão de retorno no abastecimento

  • Se for demorar, pode-se pedir um caminhão-pipa

  • Caso a interrupção tenha acontecido por falta de pagamento, o fornecimento de água só retornará após liquidação completa dos atrasados

Falta de funcionário

Caso os funcionários sejam terceirizados, a empresa manda outra pessoa para cobrir o turno. Se o porteiro for funcionário do condomínio, pode-se:

  1. Ligar para o porteiro da manhã para ele cobrir o faltante

  2. Pedir para que o porteiro da tarde dobre o turno

  3. Se o zelador for residente no condomínio, ele também pode assumir a tarefa

  4. Há administradoras que contam com mão-de-obra para esse tipo de situação, veja se a empresa contratada oferece esse serviço

  5. Há também empresas especializadas em mão-de-obra emergencial. O importante é não deixar a portaria abandonada

  • Atente para o fato que o funcionário pode se recusar a dobrar o turno: pela CLT, são apenas duas horas extras a mais que o empregado é obrigado a fazer. Também é importante saber que o horário noturno é o mais caro para ser pago como extra

Queda de luz

Condomínios sem gerador

  • Mantenha sempre lanternas com baterias carregadas na portaria

  • Verifique se há passageiros presos no elevador. Em caso positivo chame a empresa de manutenção do elevador ou o corpo de bombeiros

  • Portões: siga as orientações desta tabela no tópico "Portões automáticos quebrados"

  • O portão de pedestres pode ser iluminado pela luz de emergência – ou pela lanterna que deve permanecer na portaria – e deve ser aberto manualmente pelo porteiro

Fonte: www.sindiconet.com.br - que consultou Gisele Fernandes da Silva, gerente geral da Oma, Gabriel Karpat, diretor da administradora GK, Julio Herold, gerente geral da administradora Predial.

#segurança #síndico #manutençãopreventiva

Posts Em Destaque
Posts Recentes